6 de dezembro de 2018

Esclarecimento do presidente da Fundação Antares sobre paralisação da TV Delta em Parnaíba

Em respeito aos companheiros do grupo informo o seguinte:

Humberto Coelho da Silva, presidente da Fundação Rádio e Televisão Educativa do Piauí
Desde o começo da gestão à frente da Antares, foram feitas várias lutas. A primeira foi o processo de digitalização da TV Antares em Teresina, o que foi feito, apesar de não ter sido concluído o pagamento dos fornecedores de equipamentos, e tenho certeza que não foi porque o governador não quisesse, mas por causa da situação do Estado que priorizou pagar os servidores.
No início da minha gestão procurei por vezes o prefeito Florentino no sentido de abrir parceria para fortalecer um grande canal de comunicação na cidade de Parnaíba, mas isto não aconteceu. Realizamos reunião com o prefeito e equipe da TV e equipe do prefeito, onde seria elaborado um plano de fortalecimento da emissora, a ser elaborado pelo diretor e com ajuda do pessoal da UFPI Parnaíba. Ali teria a aquisição de equipamentos, melhoria da programação com programas voltados para a melhoria da cidade, abertura de parcerias com instituições locais, valorização da cultura local destacando os valores, o potencial local o polo turístico… O diretor, senhor Márcio Bikanca, ficou responsável pelo encaminhamento destas decisões. Abri relação com parceiros que fazem compartilhamento da nossa torre para fazer sua limpeza e conservação, mas isto também não andou…
Infelizmente nossa TV pública enveredou por uma linha de programação fora do perfil…realizamos encontros de formação, reuniões de orientação, mas estas orientações não eram seguidas e sim ignoradas. Tivemos conflitos na contratação de pessoal quando estas não seguiam critérios técnicos. Foi colocada uma pessoa da área para orientar, mas esta pessoa foi boicotada e inviabilizada…e assim chegamos a este quadro.
O processo de digitalização da TV Delta foi encaminhado no prazo, no entanto, a situação financeira do Estado gerou este atraso que estamos passando no momento.
Esta questão da digitalização não foi uma situação que apareceu assim de forma abrupta. Todos sabiam que dia 05/12 seria o prazo final, inclusive o diretor que acompanhava o processo.
A TV vai deixar de funcionar neste dia 05/12 até que o processo de aquisição de equipamentos seja resolvido. Neste ínterim, o que fazer com os contratados? Manter o contrato sem nada pra fazer? Diante da situação resolvemos manter uma equipe suficiente para produção de informações a serem enviadas para a TV e a Rádio Antares e os demais aguardarem, sem contrato, o processo de digitalização.
Estamos abertos a todos os esclarecimentos necessários.
Humberto Coelho da Silva, presidente da Fundação Rádio e Televisão Educativa do Piauí

Comentários

comentários