22 de fevereiro de 2018

Secretário de Justiça do Piauí Daniel Oliveira surta na TV e tenta intimidar jornalistas ao vivo

A TV Clube, afiliada da Rede Globo, exibiu a incompetência da Sejus e a falta de transparência no gasto dos recursos públicos; o secretário surtou em entrevista ao vivo e acusou jornalistas de ajudarem facções criminosas (imagem: reprodução)

A TV Clube, afiliada da Rede Globo, exibiu a incompetência da Sejus e a falta de transparência no gasto dos recursos públicos; o secretário surtou em entrevista ao vivo e acusou jornalistas de ajudarem facções criminosas (imagem: reprodução)

O secretário Daniel Oliveira surtou, ao vivo, na noite desta quarta-feira ao ter a competência de seu trabalho à frente da Secretaria de Justiça questionado. Acuado, reagiu tentando intimidar a imprensa e colocando servidores do estado no mesmo patamar de bandidos.

“Danielzinho” — é chamado assim por sua madrinha política, a primeira-dama, deputada federal e secretária de Educação Rejane Dias (PT) — não aguentou 5 minutos de um jornal falando verdades sobre a sua gestão, que aprofundou a crise carcerária no estado.

POLITICAGEM

Os mesmos servidores, a quem Daniel classifica como bandidos, acusam o secretário de passar mais tempo fazendo campanha para Rejane Dias, sua, madrinha, que vai disputar reeleição de deputada federal pelo PT, e para seu tio, deputado estadual Dr. Hélio, que tem enfrentado dificuldades políticas para buscar o retorno à Assembleia Legislativa.

SURTO

Veja o vídeo do surto de Daniel Oliveira.

REBELIÃO

Há quatro meses — exatamente dia 6 de outubro de 2017 — uma rebelião no presídio de Esperantina tirou a paz dos moradores daquela cidade. O presídio foi parcialmente destruído, 85 presos fugiram e, até hoje, as pessoas de bem se sentem inseguras na região.

Os telespectadores ficaram assustados com a reação de Daniel ao ser questionado por jornalistas sobre a gestão do sistema carcerário e o uso de recursos federais investigados pelo MPF (imagem: reprodução)

Os telespectadores ficaram assustados com a reação de Daniel ao ser questionado por jornalistas sobre a gestão do sistema carcerário e o uso de recursos federais investigados pelo MPF (imagem: reprodução)

Na época, a Secretaria de Justiça divulgou que seriam investidos mais de R$ 3 milhões na recuperação do local. O governo decretou emergência no sistema prisional — artifício que facilita licitações, por exemplo —, porém, segundo os agentes penitenciários, praticamente nada foi feito.

Imagens feitas pelos agentes penitenciários, aos quais a Rede Clube, afiliada da Rede Globo, teve acesso, mostram um cenário de abandono e risco dentro da penitenciária. Uma equipe experiente de jornalismo foi ao local conferir a história. Apuraram que os vídeos mostram a realidade e constataram a completa falta de segurança da unidade prisional.

INTIMIDAÇÃO

Foram ouvidos integrantes da Defensoria Pública — da qual o secretário zomba constantemente com descaso e inércia — e do Ministério Público. O promotor Raimundo Ribeiro Júnior apontou que a unidade prisional não recebeu os investimentos que deveriam ter sido realizados. A defensora pública Germana Melo revelou que vários pavilhões do presídio estão interditados pela engenharia.

Era visível que o secretário Daniel Oliveira estava odiando ser questionado sobre a gestão incompetente da SEJUS, foi quando usou a tática mais comum da gestão de Wellington Dias: tentou intimidar a imprensa (imagem: reprodução)Era visível que o secretário Daniel Oliveira estava odiando ser questionado sobre a gestão incompetente da SEJUS, foi quando usou a tática mais comum da gestão de Wellington Dias: tentou intimidar a imprensa (imagem: reprodução)

O secretário foi convidado pelo jornalismo da Rede Clube para esclarecer os fatos ao vivo. E o que se viu a partir daí foi uma descarada tentativa de intimidação.

“Esse tipo de reportagem representa um atentado à ordem pública”, condenou. Danielzinho alegou que as imagens, ainda que verdadeiras, seriam ilegais. E mais: disse que o jornalismo da Rede Globo estava facilitando a atuação de facções criminosas e fugas do sistema prisional. “A emissora não pode fazer isso”, repetiu.

O afilhado da primeira-dama do Estado Rejane Dias colocou os servidores do governo no mesmo patamar dos criminosos que estão dentro dos presídios. “Nós temos dois adversários claros: primeiro são as facções, e depois são grupos de servidores, que tentam, a todo momento, desestabilizar os presídios do Piauí e mostrar situações como esta”, argumentou.

A Rede Clube, afiliada da Rede Globo, ainda exibiu uma entrevista com o procurador Kelston Lages, do Ministério Público Federal, na qual ele revelava que o MPF está cobrando do Governo do Estado um plano de utilização dos recursos federais que são repassados para a modernização do sistema prisional.

Fonte: www.politicadinamica.com

Comentários

comentários